Candidatos e assessores divergem na questão fiscal

Candidatos e assessores divergem na questão fiscal

Bolsonaro e Haddad passam sinais diversos do que foram dados por suas assessorias



A incoerência e a superficialidade nas propostas de política fiscal dos candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) estão entre as principais fontes de inquietude dos economistas e empresários. Segundo eles, é natural que os candidatos evitem temas espinhosos, como um ajuste fiscal, às vésperas da eleição, mas, neste ano, o debate político está ainda mais incongruente: "Não se sabe qual é a plataforma dos dois", diz a economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif.Candidatos e assessores divergem na questão fiscal


Categoria:Brasil

Deixe seu Comentário